segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Duque da Horta-Nova




Ando a tentar construir a minha árvore genealógica por isso sou mais um pobre coitado a viver a sua fantasia. bem que preciso alguém com conhecimentos de etiqueta e boas-maneiras. Até pode ser que as minhas gerações futuras consigam comer à mesa sentados numa cadeira, sem arrotar ou cuspir.
Depois de ter andado à procura de de quem foram os meus antepassados, e recorrendo a todas as ajudas possíveis entre as quais o meu Tio José a quem recorri em Deus versus FarmVille e a quem liguei mais uma vez .
Assim que marco o numero dele  ele atende e mais uma vez faz-se  silêncio e uma vez mais ele pergunta várias vezes se era eu  o seu sobrinho.
Ao qual eu prontamente respondo que sim.
E digo-lhe Tio grande Amigo! Ando a tentar construir a nossa árvore genealógica.
Ao que ele rapidamente responde:
-Sobrinho podes não saber mas agora não é a melhor altura para se vender os pinheiros porque ninguém os quer!
Eu começo a rir-me risos...risos... e digo-lhe que está enganado que árvore genealógica só serve para conhecer quais foram os nossos antepassados!
-Antepassados?
-Sim tio! para sabermos se temos alguém nobre na família! Tipo Conde ou Barão!
-Vocês aí em Lisboa pensam que nós temos a vossa vida!!Raios parta a minha vida já não basta a tua tia a ralhar-me todo o dia por causa do vinho agora és tu com essa conversa ,da outra vez eram os Corvos agora são os Duques!
-Conde! Duque! O que tu queres sei eu!
-Fogo Tio? Tchau! Dé cumprimentos a Tia Neli txau e bom trabalho!
Depois de muito pensar e de estar arrependido de ter ligado para ele. Decidi recorrer ao meu grande Amigo Vidrinhos Aquoso que mora no Bairro da Horta Nova aqui em Carnide.
-Olá Vidrinhos preciso de um favor teu!
- Foste despedido finalmente?
-Não LOL deves pensar que são todos como tu... Quero ser Duque ou Conde! Quero ter Linhagem!
-Meu o Francisquinho  "Duque" agora está fora do bairro anda fugido da bófia, mas a familia e os vizinhos pensam que ele foi trabalhar para Espanha. Ele aqui no bairro era conhecido por o Duque!
-Duque? Parece ser bom ? Então eu fico com o titulo dele Vidrinhos! Pode ser não pode?
-Meu da minha parte tásse bem! Eu posso espalhar aqui no Bairro que tu agora é que és o Duque!Mas tens que dar algum graveto aqui ao Mano!
-Sua Majestade!!!!  Diz Vidrinhos no gozo fazendo uma vénia.
-Vidrinhos! Mais alto meu! Mais alto! Já me estou a habituar!
-Olha agora tenho uma impressora que comprei ao Manel Faneca ainda não a paguei  e para a experimentar amanhã até  vou imprimir o teu titulo numa folha de  papel manteiga que lá tenho e oferecer-te!
-Vidrinhos! Papel Manteiga ?Meu?Meu?Até estou gago!
-Isso é bué vulgar Vidros!
-Para mim só em papel de arroz!Eu agora sou um Monarca!
-Até já estou a pensar qual irá ser o meu Lema!
-O meu lema será o seguinte:  Veni, vidi, vici. Se é que me faço entender.
"Vidrinhos com a lágrima no canto do olho responde".
-Meu... tu sempre falas-te bué mas mesmo bué da bem Francês!
-Risos...Risos...da minha parte claro?
-Raios Vidrinhos! Tenho que me deitar cedo, senão amanhã tenho olheiras até aos joelhos!!
-Sr Duque! Meu Senhor! deixa cá qualquer coisa ao mano! é para despesas de representação!
Por isso a partir de agora sou um exemplo vivo de um percurso de sucesso: de medíocre funcionário a Duque do Bairro da Horta Nova o que faz de mim (?) um dos Nobres preferidos dos padeiros, dos limpa-chaminés, dos controladores de droga e dos trolhas que por cá habitam
Creio mesmo que há quem me compare à gesta dos descobrimentos. Enfim, sou o ex-libris perfeito dos mentecaptos deste país.
Por isso subo a calçada da vida contente por ter começado este meu percurso a pé. No meio do povo. O mesmo povo que hoje me admira e que me venera.
Por isso lembro-me sempre da célebre frase: "estar vivo é o contrário de estar morto"
Mas como é comum nestes casos Noblesse oblige, diz o caixote de lixo ao Almeida.....




@ ParqueColombo2010