quinta-feira, 18 de março de 2010

Homenagem do dia do PAI a um Homem que nunca o chegou a ser!

 
Aqui Faleceu Cesário Verde??
Ou a casa é que está para falecer? Cesário Verde? Cesário Verde? Não estou a ver quem será?
Só conheço o José Joaquim Cesário Verde nasceu em Caneças,no dia 25 de Fevereiro de 1855.
Morreu de Tuberculose a 19 de Julho de 1886 aqui nesta casa no Paço do Lumiar a paredes meias com Carnide.
Só em 1887 , por iniciativa de Silva Pinto, criou-se uma compilação dos seus poemas com o título de O Livro de Cesário Verde.
ele antes de mais, era um realista que utilizou também o impressionismo nos seus poemas, já que materializa o abstracto, insiste na impessoalidade, utiliza paisagens e locais para traduzir estados psicológicos, dá espírito a objectos.
Além disso as suas composições poéticas enquadram-se também no Parnasianismo que defende “a arte pela arte” e que foi iniciado em França no século XIX.
Acho que deviamos ter vergonha desta triste homenagem a um poeta !
Por favor ou tirem a placa do edifício ou então restaurem-no!
Para quem trata assim a nossa cultura só me resta dedicar este Poema publicado em O Livro de Cesário Verde.
A Forca
Já que adorar-me dizes que não podes,
Imperatriz serena, alva e discreta,
Ai, como no teu colo há muita seta
E o teu peito é peito dum Herodes,
Eu antes que encaneçam meus bigodes
Ao meu mister de ama-te hei de pôr meta,
O coração mo diz - feroz profeta,
Que anões faz dos colossos lá de Rodes.
E a vida depurada no cadinho
Das eróticas dores do alvoroço,
Acabará na forca, num azinho,
Mas o que há de apertar o meu pescoço
Em lugar de ser corda de bom linho
Será do teu cabelo um menos grosso.
@BomNorte2010

Sem comentários: