sábado, 18 de setembro de 2010

A arte do silêncio



Tenho necessidade de silêncio
Estou a escrever em silêncio. Mas?
Não tenho necessidade de tanto silêncio.
Se houver um trovão que abafe e afaste este silêncio de mim.
Fico feliz por não ter o silêncio só para mim. Ofereço-o e reparto-o por todo o mundo
Sentimos que temos necessidade de fazer reflexões e pensamentos sobre o Silêncio.
Já não conseguimos viver com o Peso que o silêncio tem na nossa sociedade!
No nosso quotidiano já abandonámos o Silêncio.
Olhares que nos ignoram em silêncio num ruído citadino
Chuva de Inverno que cai no Verão quebrando o silêncio seco da estação
Não conseguimos viver com ele. Vivemos a fugir dele.
Temos uma aversão ao SILÊNCIO DE MORTE e comparamos o silêncio à Morte!
Atingir alguém pelo silêncio, é pior que enfrentar a pessoa com violência física!
Ninguém consegue viver em silêncio!
Ninguém luta em silêncio!
Ninguém se mantém em silêncio!
Sofrem em Silêncio!
Quebrar o silencio é uma das metas que enfrentamos no nosso dia a dia
Trocámos um minuto de silêncio por um minuto de silêncio ruidoso
O Silêncio agora é considerado um Prenúncio de Morte
Vivemos uma cultura em que o barulho, da agitação, da correria, da não reflexão se sobrepõe ao Silêncio
O silêncio está a morrer e, com ele, a reflexão, a paz, a tranquilidade, o olhar, o carinho.
E o pior disto tudo é que não se pode fazer um minuto de silêncio por nenhum deles.
Carimbar de resmas de folhas no silêncio da amizade
Mentir para esconder o silêncio da verdade
A morte do silêncio está para breve!
O pior é que morremos em Silêncio
E o meu pensamento deixa de ser feito em silêncio

@BomNorte2010

Sem comentários: