sexta-feira, 20 de maio de 2011

Perguntei à vida.

1 comentário:

gaivotaerrante disse...

Fique!Fugir de nada serve,fique e continue fazendo das conjugações perfeitas a sua força de expressão,eleve as palavras ao céu,desenhe círculos faça quadrados,use pós de perlimpimpim,talhe o silêncio na madeira que preferir,porque a um poeta nunca se pode pedir (SILÊNCIO),e muito menos que fuja do tempo ou da vida.